Tradutor

IMPOSTÔMETRO - SAIBA QUANTO O GOVERNO ARRECADA COM OS TRIBUTOS QUE VOCÊ PAGA:

MENU

História

A História de Campo do Brito-SE

Breve histórico



Em 1601, as terras de Campo do Brito foram doadas em sesmarias de 30 léguas, ao Capitão Antonio Rodrigues, que depois da invasão holandesa, cedeu ao Irmão Amaro, da companhia de Jesus.
 Em 30 de janeiro de 1845, o povoado passou à categoria de freguesia. Foi fundada a paróquia de Nossa Senhora da Boa Hora, ficando independente da de Santo Antonio das Almas, de Itabaiana. Antes da emancipação ocorrida em 29 de outubro de 1912, Campo do Brito, pertencia a Itabaiana. Apesar de ser o povoado de maior destaque do município, não recebia a devida importância. Sentindo-se abandonados, os britenses começaram a desejar a independência, mas faltava um líder para enfrentar a resistência de Itabaiana. 
Em 22 de abril de 1891, foi nomeado como vigário de Campo do Brito o Padre Francisco Freire de Menezes. Ele promoveu uma verdadeira revolução no povoado: culto e inteligente, o Padre não perdeu tempo. Construiu a matriz e várias capelas nos povoados de sua paroquia, e organizou seus fiéis para uma nova era. A população percebeu a liderança do padre e começou o apelo para que entrasse na política e defendesse a emancipação do município.
Consciente da dificuldade que teria para enfrentar a classe dominante de Itabaiana, ele trouxe familiares do antigo engenho Maxixe, em Riachão do Dantas de propriedade de seus pais para Campo do Brito. A oportunidade de emancipação surgiu em 1910, quando o General José Siqueira de Menezes candidato a governo do Estado, foi a Campo do Brito pedir votos aos britenses. O padre prometeu o apoio em troca da emancipação, caso ele fosse eleito. A partir daí começaram os protestos de Itabaiana. O padre foi eleito deputado estadual e apresentou imediatamente, o projeto de lei para emancipação da freguesia. Assim, Campo do Brito passou à categoria de município, passando a ser sede dos povados de Macambira, Pedra Mole, Pinhão e Sao Domingos. Enfim Campo do Brito estava independentes dos domínios de Itabaiana, pela lei de 624 de 29 de outubro de 1912.

Dados históricos atribuem a origem do nome do município à posse do coronel Porfírio de Brito sobre as terras conhecidas, na atualidade, como Brito Velho, nossa primeira sede. Poucos anos depois, por conta de um surto de cólera – a qual vitimou o próprio coronel – a sede foi mudada para a região em que ela se localiza até os dias atuais.

Texto do professor e historiador campo britense, Wilson Augusto



Geografia


Parte de seu território encontra-se dentro do polígono das secas, com temperaturas médias anuais de 24,5°C e precipitação média de chuvas de 1178,7 mm/ano, mais predominante de março a agosto (outono-inverno). O relevo é caracterizado por uma superfície de pediplanos, com formas mais comuns de tabuleiros, colinas e cristas. A vegetação do município varia da Capoeira, Caatinga, Campos Limpos. Campo do Brito está inserido na bacia hidrográfica do rio Vaza-Barris, outros rios importantes da região são o Lombada e Traíras.


Área: 201,724Km²                                               

População: 16.987 hab.

Altitude: 210 m                                                

Densidade: 83,11 hab./km²                                 

PIB: R$ 75.458,866 mil                                 

PIB per Capita: R$: 4.542,43
Gentílico: campo briense 


Economia


As receitas municipais vêm principalmente da agricultura (mandioca, manga, laranja, maracujá e feijão), pecuária (bovinos, suínos e equinos), avicultura, Comércio e funcionários públicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário